Youtube
Twitter
Rss
Email

Imprensa

9 de agosto de 2017 - 18h54

Melhorias na acessibilidade e educação política integrarão Programa de Gestão 2017/2019

Melhorias na acessibilidade e educação política integrarão Programa de Gestão 2017/2019

Após dois dias de palestras e debates com todos os chefes de Cartórios Eleitorais do Tocantins, foram definidas duas ações que serão inseridas no Programa de Gestão 2017/2019. A atividade faz parte da nova estratégia do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) que visa ouvir os servidores que lidam diretamente com os eleitores nas Zonas Eleitorais.  O encontro teve inicio nesta terça-feira (8/8) e seguiu durante esta quarta-feira (9/8) no auditório do Tribunal.

“A Justiça Eleitoral é avaliada pelos eleitores através dos serviços que eles recebem na Zona Eleitoral, por isso é muito importante a participação efetiva dos chefes de Cartório para a construção de um Programa de Gestão participativo, onde todos os servidores possam se sentir parte do processo”, ressaltou o diretor geral José Machado dos Santos.

Durante os dois dias de encontro os chefes de Cartório relataram as principais demandas ligadas diretamente aos seus locais de trabalho, bem como aprimoraram o conhecimento sobre a atuação de cada setor do TRE-TO.

Os apontamentos, sugestões e solicitações das Zonas Eleitorais foram registrados pela Alta Direção. O secretário de administração e orçamento, Teodomiro Fernandes, agradeceu a participação de todos e garantiu que as solicitações como reformas e melhorias na infraestrutura já estão sendo analisadas para atendimento.

Ações

A educação política dos cidadãos e a melhoria na acessibilidade dos locais de votação serão as duas ações que farão parte do Programa de Gestão para o próximo biênio.

Para o chefe de Cartório da 28ª Zona Eleitoral de Miranorte, Rogerio Miranda, essas ações serão de grande importância, pois a acessibilidade é um direito constitucional de todo cidadão, então a Justiça Eleitoral deve ter o compromisso de buscar sempre melhorias dos locais de votação para garantir o direito a cidadania às pessoas com necessidades especiais. “Quanto a questão da educação política, muitas pessoas não tem conhecimento dos seus direitos ou não possuem os meios necessários para conhecê-los, por isso é necessário realizar campanhas educativas para que as pessoas tenham condições de participar melhor do processo eleitoral através do voto consciente”, avaliou.

Gabriela Almeida (Ascom/TRE-TO)

Gestor Responsável: Assessoria de Comunicação Social, Corporativa e Cerimonial +

Quem somos

Contatos